Tango e Milonga


imagem de dois dançarinos - Tango e Milonga
Tango e Milonga, qual a diferença?

Buenos Aires

Quando pensamos em tango, logo pensamos Buenos Aires, ou  seus mais conhecidos e grandíssimos mestres: Astor Piazzolla e Carlos Gardel. Porém o Tango é mais que isso, está presente na memoria dos que viveram o auge do Tango porteño. Para quem não conhece a palavra porteño é popularmente usada para as pessoas que nasceram em Buenos Aires , como os cariocas no Rio de Janeiro. O Tango esta no dia a dia de Buenos Aires. Não precisa ir muito longe para conhecer, basta passear pelas ruas, cafés, casas de tango ou ate mesmo nos bairros menos conhecido de Buenos Aires. Fica a dica para pessoas que gostam de dançar, ou apreciar um bom tango, vale a pena viver essa experiência, ate mesmo para aprender a dançar tango e Milonga.



Tango e Milonga

Tango e milonga? Muitos devem se perguntar o que é milonga? Qual a diferença de Tango e Milonga?
Ate porque no Brasil ouvimos muitas vezes os dois e nem sabemos que milonga existe.

Pois bem, o  tango é mais urbano, triste, com canções sofridas, dramático, dançado expressando mais sedução.
Já a milonga, é uma dança mais atrevida que expressa um jogo entre os bailarinos, uma disputa, mais divertida e rápida, com mais possibilidades de brincadeiras por parte dos bailarinos.

Os estilos

Os dois estilos são muito populares em Buenos Aires. São dançado e ensinado gratuitamente nas ruas e parques, por bailarinos que vivem dessa arte, e que lutam para não deixar que se acabe essa cultura. Para que não morra o verdadeiro sentimento vivido através do tango, e que não se torne só mais uma casa de tango para turistas. Atualmente nos bairros menos conhecidos de Buenos Aires, podemos encontrar bares populares como “Los Laureles” um dos poucos e autênticos bares que ainda sobrevive e que podemos ir para dançar, tomar um bom vinho e comer uma deliciosa carne argentina. Para aqueles que gostam de apreciar a cultura local, vale a pena conhecer. Já para os turistas de carteirinha Fica a dica; “Piazzola Tango“, de muitos que conheci esse ficou marcado pela autenticidade do espetáculo.




Deve ser vivido…

Hoje para mim, o tango tem um valor especial, pelo fato de ter vivido a cultura local porteña, de ter frequentado lugares ainda autênticos. Uma oportunidade que tive, devido a sorte de conhecer pessoas nas quais me fizeram enxergar Buenos Aires de outro ponto de vista, que me ensinaram o verdadeiro valor de uma cultura, e foi a partir dai que pude ir mais além da superficialidade. Descobri uma cultura cheia de identidades diferentes, nas quais se torna única. Quando meu amigo Leon me convidou para escrever uma coluna sobre Tango, logo pensei,que teria muitas coisas para dizer. No final das contas é difícil tentar explicar o que é para ser vivido. Por isso compartilho com vocês esse vídeo abaixo que mostra um pouco mais do dia a dia dos bailarinos que tentam sobreviver da Vida do Tango, realidade essa de luta também compartilhada por todo artista.





Un homenaje a los bailarines de Buenos Aires, que luchan todos los dias para vivir del arte de bailar!
Diego Javier y Beatriz Peralta.

27 de abril de 2017, Irlanda, Leidiane Badaya.

Be the first to comment

Deixe uma resposta