Koe no Katachi (A Silent Voice), uma experiência de vida


imagem Koe no Katachi
Koe no Katashi (A Silent Voice) - imagem promocional

Um nicho de cultura pop que atualmente vêm espalhando rapidamente pelo Brasil é a cultura oriental.

Cada vez mais, pessoas de todas as idades têm abraçado este tipo de entretenimento que, apesar de novo para nós, já data de muita experiência entre nossos irmãos asiáticos. Porém antes de falar de Koe no Katachi, uma breve introdução sobre esta cultura.
Esta parcela cultural se apresenta de várias maneiras. As músicas K-Pop e J-Pop (rock coreano e japonês) são escutadas constantemente entre os mais jovens. Doramas (novelas) ganham espaço na cultura ocidental. Mangás (revistas em quadrinhos) podem ser facilmente adquiridos em bancas ou diretamente com as distribuidoras nacionais, como a New POP Editora e a Editora JBC.

Mas o traço mais forte é, com certeza, os desenhos japoneses ou, mais popularmente conhecidos, animes. Desde os anos 80 eles têm aparecido em nossos televisores, com clássicos como Speed Racer ou Zillion, porém foi nos anos 90, com a extinta TV Manchete que eles se popularizaram de vez, com Cavaleiros do Zodíaco, Sailor Moon, Yuyu Hakusho. O SBT transmitia Dragon Ball, Fly o Pequeno Guerreiro e Guerreiras Mágicas de Rayearth, e como não poderia deixar de aproveitar este boom, a Globo lançava Pokemon, Dragon Ball Z (também exibido pela Band) e mais uma lista enorme de outros títulos que fixaram de vez o gosto por este novo mundo no nosso país.

E finalmente chegamos a Koe no Katachi.

Koe no Katachi (A Silent Voice)

Koe no Katachi foi um mangá publicado de agosto de 2013 a novembro de 2014. Foram lançados 62 capítulos na revista Weekly Shounen Magazine e organizados em 7 volumes (no Japão vários mangás são publicados por capítulos em revistas especializadas e depois vendidos separadamente em um mangá inteiro). Atualmente ele pode ser conseguido pela New Pop Editora, que lançou o primeiro volume em abril.

 Mas o que torna essa história tão especial?

Ela mostra um lado pouco divulgado do Japão, contando a história de Shouya, um garoto que sempre praticou bully e de de Shouko, a nova garota da sala. Shouko é deficiente auditiva e tenta fazer amigos, porém se torna vítima das terríveis brincadeiras de Shouya, que ficam cada vez mais pesadas. O primeiro volume conta como se conheceram e como Shouya transforma a infância de Shouko em uma experiência terrível e triste. Por conta disto, ela vai embora da escola e Shouya acaba sendo considerado culpado e agora passa a ser vítima do bullying de seus colegas.
Mas a obra é voltada em como eles se reencontram anos depois e Shouya tenta se redimir por tudo que causou.

Os desenhos não são perfeitos, mas a qualidade da história nos faz esquecer totalmente desse detalhe. Confesso que chorei em vários momentos e, vendo o trailer novamente sinto o lacrimejar novamente.
É uma leitura pesada, porém nos faz pensar em quanto nossos atos refletem para outras pessoas.

Adaptação para o cinema

Koe no Katachi ganhou diversos prêmios no mundo todo, inclusive homenagens da associação de pessoas com problemas auditivos do Japão, e a adaptação veio em um longa lançado na terra do sol nascente em 2016. Agora está sendo lançado o Blu-ray e DVD em vários países. Existe a chance de chegar no Brasil oficialmente, mas ainda deve demorar algum tempo. Admito que irei assistir por algum stream não autorizado, porém se for lançado aqui, eu com certeza irei comprar.

Recomendo a todos que conheçam esta fantástica história.

Be the first to comment

Deixe uma resposta